Rua de Mão Única

"Para os grandes, as obras acabadas têm peso mais leve que aqueles fragmentos nos quais o trabalho se estira através de sua vida" - Walter Benjamin

quinta-feira, outubro 06, 2005

 

Direito de Gozo

Se não pagar e ninguém se apresentar como fiador, que o devedor seja levado pelo seu credor e amarrado pelo pescoço e pés com cadeias com peso máximo de 15 libras. (Lei das XII Tábuas – Tábua Terceira – Item Sexto -450 A.C)

Posso provar por A + B que sou incompetente. Não preciso descer ao fundo do poço para constatar meu próprio fracasso. A incapacidade para as coisas práticas da vida está ai, jogada em cima da mesa. Espalhada pelas inúmeras agências de cobrança, devidamente gravada nos bancos de dados, constantemente acessada na hora em que me atrevo desejar. Sim, sou o único responsável pela minha miséria. Sonhei alto demais, quis comer do bom e do melhor, entreter-me com belas imagens. Senhor Gerente, concedei um último pedido para esse pobre devedor: quando meter os juros, por favor, seja gentil.

(do livro "Perambulando pelo caos" - série - urbanidades # 9)

 
Sem Excessão

Ana era uma criatura muito, muito pequena. Manca da perna esquerda, cega do olho direito, exibia-se na praça central, defronte a matriz de Nossa Senhora da Boa Oportunidade. Admirada por crianças e senhoras de meia-idade, ganhava a vida recitando versos ao mesmo tempo em que requebrava os quadris. No intervalo das apresentações, gostava de tomar tiquira, ruminar indecências e cuspir na direção contrária ao vento. Sabia de cor e salteado desde menina que a vida, sobretudo para criaturas reduzidíssimas, não admite vacilo. Por isso, quando lhe propuseram traficar água da boa, livre de impurezas, não teve dúvidas: aceitou sem pestanejar. Ana era uma criatura diminuta, mas não era burra.

(do livro "Perambulando pelo caos" - série - infâncias # 3)

terça-feira, outubro 04, 2005

 
Auto-Retrato

Tudo isso é muito estranho. Primeiro eles tiraram meu sangue, depois colheram amostras da minha pele, da minha saliva, do meu suor. Explicaram que era procedimento padrão, coisa rotineira, nada para me preocupar. Durante muito tempo permaneci calado, ouvindo seus discursos, suas teorias e acreditando que um dia estaria curado. Só raras vezes ousei levantar a voz, protestar ou duvidar de seus procedimentos. O que importava era minha felicidade, meu bem-estar. Agora, e tudo isso é muito estranho, reclamam que a experiência não deu certo. Deram para gritar, berrar e, já faz alguns dias, cortaram minha ração. Querem que eu vire um trapo e morra de fome? Até um animal de circo recebe tratamento melhor. Acho que mereço um pouquinho de consideração e respeito. Não creio, como eles querem me fazer acreditar, que é assim mesmo que caminha a humanidade.

(do livro "Perambulando pelo caos" - série - interioridades # 7)

hisTórico

08.28.2005   09.04.2005   09.11.2005   09.18.2005   09.25.2005   10.02.2005   10.09.2005   10.16.2005   10.23.2005   11.20.2005   11.27.2005   12.04.2005   12.11.2005   12.18.2005   01.29.2006   02.05.2006   02.12.2006   02.19.2006   02.26.2006   03.05.2006   03.12.2006   03.19.2006   03.26.2006   04.02.2006   04.09.2006   04.16.2006   04.23.2006   04.30.2006   05.07.2006   05.14.2006   05.21.2006   05.28.2006   06.04.2006   06.11.2006   06.18.2006   06.25.2006   07.02.2006   07.16.2006   07.23.2006   07.30.2006   08.06.2006   08.13.2006   08.27.2006   09.10.2006   09.17.2006   09.24.2006   10.01.2006   10.15.2006   10.22.2006   10.29.2006   11.26.2006   12.17.2006   01.28.2007   02.04.2007   02.11.2007   02.18.2007   02.25.2007   03.11.2007   05.18.2008   07.06.2008   08.31.2008   10.19.2008   12.14.2008   02.01.2009   02.15.2009   02.22.2009   03.08.2009   03.29.2009   04.19.2009   04.26.2009   05.31.2009   06.21.2009   08.09.2009   12.20.2009   01.31.2010   05.09.2010   05.16.2010   06.27.2010   02.06.2011   06.05.2011   08.14.2011   08.28.2011   04.29.2012   12.02.2012   04.21.2013   09.22.2013  

pUbliCaçÕes

Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº30
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº31
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº32

aRtiGos

Usina de Letras
fotoclube F/508
Cronópios

OuTros imPosTos

Alê
Algaravária
Alexandre Costa
Ana Baggio
Arruda
Carlos Besen
Carpinejar
Celso Boaventura
Chloè
Cláudio B. Carlos
Claudinei Vieira
Cronópios
Dioneide Costa
Edilson Pantoja
Eduardo Baszczyn
Eduardo Oliveira
EscritorasSuicidas
Estulticia
Elidio Soares
Elisa Andrade Buzzo
Hermes Bernadi
Ivã Coelho
Larissa Marques
Marcelino Freire
Marcos Pardim
Marilena
Menalton Braff
Mim
Nandi
Natércia Pontes
Nilto Maciel
Nirton Venancio
Pedro Paulo Pan
Pedro Paulo Pan
Projeto Identidade
Rubens da Cunha
Tudo Lorota
Valéria
Whisner Fraga
eXTReMe Tracker Divulgue o seu blog! Site Meter

This page is powered by Blogger. Isn't yours?