Rua de Mão Única

"Para os grandes, as obras acabadas têm peso mais leve que aqueles fragmentos nos quais o trabalho se estira através de sua vida" - Walter Benjamin

quarta-feira, novembro 01, 2006

 

Ilustríssimo Senhor Diretor da Companhia de Engenharia e Tráfego

O burro morreu! - gritei. Na cozinha, a mulher fazia o almoço, enquanto na sala, a gurizada torcia o rabo do gato e, trancado no quarto, o filho adolescente estourava os miolos. As plantas, soterradas em pequenos vasos de plástico, agonizavam no escaldante sol do meio-dia. O burro morreu... - pensei. Juliana não era uma ilusão. Multipliquei por cinco, subtraí a maldita pensão, e cheguei a seguinte conclusão: Como se estivesse perdido num barco, nem longe nem muito perto da costa, de mãos atadas jamais conseguiria em seus braços repousar.

(do livro "Pessoas bonitas acordam tarde")


(ilustração, Tráfego, Biratan)


Comments:
Multiplicidade de eventos, narrativa maravilhosa!
 
Cara, muito bom vir aqui e ver sempre um texto instigante, perfeitamente escrito, dá muito prazer, sempre!

brigadao!

[]´s
 
Uma narrativa de repouso insondável, fatos dos nossos cotidianos. Lugar onde ecoa um silêncio desesperador, infinito.

Boa fluição, rápida e desperta.

Abraços amigo, abraços.
 
, lendo teu texto ouvia a trilha sonora. e assistia a cena, as cenas...
|abraços meus|
 
Muito bom!!!
 
eventos picotados [haja imaginação:-)] q se juntam numa narrativa surreal e irrepreensível! pra variar!=D
 
Bom texto e sempre que leio seus escritos vejo situações outras do cotidiano dessa vida...
Uma sensação de ver sempre a cena...rs

Lembrei de uma cena de minha caminhada tempos atrás quando trabalhava na periferia de Fortaleza, bairro Bom jardim que tem 175 mil pessoas..
Decidi ir sempre de ônibus e constatei o seguinte que ali ônibus demorava 45 minutos, muita gente na parada...as casas tinhas grades quase todas tinha até toque de recolher em algumas ruas..( traficantes..)...pensei meu Deus o que é isso? e em que mundo eu vivo..existe dois mundos em nossas cidades?
habeijos
 
Adorei, adoro estes teus contos que me deixam confusa, tenho que reler para entender pela densidade.
Parabéns! bjs Laura
 
o amálgama de sensações deste conto, meu caro, não caberia num só comentário. li e reli. tua escrita é poderosa, e assim como juliana, isso também não é ilusão. grande abraço
 
Dá um nó na cabeça da gente...mas no final se desmancha em idéias mútiplas!!!
Abraços carinhosos neste começo de semana.
 
sabe a sensação que dá quando se lê este texto, que temos um grande poder de emaranhar as coisas e no final deixar tudo entendidinho.
Olha, eu gostei muito.
um beijo grande, querido
e no coração
 
Você e suas aconchegantes estórias mirabolantes...
 
somos sempre nós a desatarmos nossos nós...e se assim não for, mesmo sem as amarradas estaremos amarrados...
beijo
 
Este " o burro morreu..." abre um leque de possibilidades de fuga. Mas é preciso ter coragem para desatar as mãos, né?
Outro conto que leva a múltiplas interpretações. Vc é fera!
Beijocas
 
Vi sua foto no perfil, eu te imaginava mais velho, sabia? é jovem e bonito :)
um bj laura
 
Oi Claudio,

Já falei que adoro te ler? Já? Então, ratifico.

Gostei muito.

Beijos...
 
o poder de sua literatura retratando quadros da vida, de modo objetivo e com linguagem sintética, sem sentimentalismo, com vocabulário exato, precisão e concisão me atordoam, tiram-me as palavras, fico boba a contemplar. menino, como você escreve bem !!! beijos.
 
isso é uma mistura de Calvino com Saramago, com a pitada exata de Kafka.

isso é bom demais!

[jb]
 
Cara, passei aqui pra "cobrar" um mini seu; coisa fina os teus. É uma doidêra cara, vida louca essa da gente que se mete a escrever; uma palavra: sem tempo. Fico dias mudo. Depois, sai o que quero; escrevi lá, no meu chão, umas estórias repulsivas (rs).

Abraço cara,

Diogo Costa.
 
O problema é que o repouso pode, no futuro, levar a novos episódios, como no caso que chega ao fim. É quando Juliana pode, como a outra, resumir-se à cozinha. Perfeito! Abraço!
 
É a minha primeira vez...
Aqui no seu blog. Gostei muito. Virei fã.
 
Bárbaro (no sentido de Lindo)! hehehe
 
um pouquinho da vida cotidiana da vida de gente simples :))
excelente.
abraços
Rubens
 
Sempre bom vir por aqui... Nesse tráfego de idéias... :)

Adorei a ilustração.

Beijos!
 
ah, que agora fiquei curiosa... mas cadê o seu perfil?! quero ver, quero ver!!!!
***
Valerá a pena encontrar um jeito de soltar as amarras já que Juliana não é uma ilusão!!!
habjs!!!
 
deixe suas janelas abertas
pois é muito bom vir aqui.
 
que bom poder voltar a te visitar aqui! bj
 
Nem fiquei com pena do burro... Querido estive ausente por uns dias, mas já estou de volta... Beijos!
 
sumiu?!
hábjs!
 
o que aconteceu com vc?
 
Tudo bem com vc, Cláudio? Fazes falta. Abraço-te, desejando que tudo esteja bem.
 
Bom começo de seman pra vc.
Abraços diretamente do meu Cotidiano.
 
Oi Claudio,

Saudades de passar os olhos por ti ao tornar-te 'letrinhas' por estas bandas....

Beijos...
 
Postar um comentário

<< Home

hisTórico

08.28.2005   09.04.2005   09.11.2005   09.18.2005   09.25.2005   10.02.2005   10.09.2005   10.16.2005   10.23.2005   11.20.2005   11.27.2005   12.04.2005   12.11.2005   12.18.2005   01.29.2006   02.05.2006   02.12.2006   02.19.2006   02.26.2006   03.05.2006   03.12.2006   03.19.2006   03.26.2006   04.02.2006   04.09.2006   04.16.2006   04.23.2006   04.30.2006   05.07.2006   05.14.2006   05.21.2006   05.28.2006   06.04.2006   06.11.2006   06.18.2006   06.25.2006   07.02.2006   07.16.2006   07.23.2006   07.30.2006   08.06.2006   08.13.2006   08.27.2006   09.10.2006   09.17.2006   09.24.2006   10.01.2006   10.15.2006   10.22.2006   10.29.2006   11.26.2006   12.17.2006   01.28.2007   02.04.2007   02.11.2007   02.18.2007   02.25.2007   03.11.2007   05.18.2008   07.06.2008   08.31.2008   10.19.2008   12.14.2008   02.01.2009   02.15.2009   02.22.2009   03.08.2009   03.29.2009   04.19.2009   04.26.2009   05.31.2009   06.21.2009   08.09.2009   12.20.2009   01.31.2010   05.09.2010   05.16.2010   06.27.2010   02.06.2011   06.05.2011   08.14.2011   08.28.2011   04.29.2012   12.02.2012   04.21.2013   09.22.2013  

pUbliCaçÕes

Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº30
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº31
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº32

aRtiGos

Usina de Letras
fotoclube F/508
Cronópios

OuTros imPosTos

Alê
Algaravária
Alexandre Costa
Ana Baggio
Arruda
Carlos Besen
Carpinejar
Celso Boaventura
Chloè
Cláudio B. Carlos
Claudinei Vieira
Cronópios
Dioneide Costa
Edilson Pantoja
Eduardo Baszczyn
Eduardo Oliveira
EscritorasSuicidas
Estulticia
Elidio Soares
Elisa Andrade Buzzo
Hermes Bernadi
Ivã Coelho
Larissa Marques
Marcelino Freire
Marcos Pardim
Marilena
Menalton Braff
Mim
Nandi
Natércia Pontes
Nilto Maciel
Nirton Venancio
Pedro Paulo Pan
Pedro Paulo Pan
Projeto Identidade
Rubens da Cunha
Tudo Lorota
Valéria
Whisner Fraga
eXTReMe Tracker Divulgue o seu blog! Site Meter

This page is powered by Blogger. Isn't yours?