Rua de Mão Única

"Para os grandes, as obras acabadas têm peso mais leve que aqueles fragmentos nos quais o trabalho se estira através de sua vida" - Walter Benjamin

terça-feira, fevereiro 28, 2006

 
La divina familia - ?

Vacas magras não dão crias

Ao cair da tarde o pai vinha substituir o filho. Este, antes de ir embora, sempre lhe perguntava Quando eles vêm? Sem muita convicção, o pai respondia Um dia. Durante as manhãs o filho acompanhava a mãe para apanhar gravetos, raízes e grãos. Entre uma raiz e outra o menino sempre lhe perguntava Quando eles vêm? Sem rodeios nem titubeios, a mãe respondia Nunca! Sem grandes espantos, o menino olhava pra mãe, praquele fim de mundo e, após alguns segundos, remendava outra pergunta Por que eles nunca vêm?

(do livro "Perambulando pelo caos"-série interioridades # 14)


Comments:
as infâncias perdidas... eu sempre fui de acreditar no talvez... uma esperança infantil, inovente, menina... até hpje ainda tenho dificuldade pra encarar o nunca... uma dificuldade doída que faz com que eu me sinta me despedindo gradativamente de pédacinhos do que eu sempre fui...
reconstruir-me na construção de janelas que encaram o nunca, talvez como uma possibilidade do novo... ou não.
viajei né...sorry
beijos muitos que há
 
Somos seres repletos de indagações e não haverá resposta suficiente, mesmo que seja um nunca.
Beijos e parabéns,
Ana
 
Crianças não desistem fácil das perguntas, ao contrário da gente.
abraços
Fabrício
 
Muito bom!
 
A eterna dúvida. Sempre algo perdido ou muito esperado. Fazemos sempre estas perguntas que não calam, mas ainda assim prefiro as incertezas que a completa falta de possibilidades, taxativamente falando. Cláudio, onde compro o livro? Sucesso, meu caro!

Abçs
 
Olá. Hoje continuei minha peregrinação pelo seu histórico. Comecei com E.A.P (04/09/05) e fui até Cuide-se (01/10/05). Não demora, leio tudo. Ah, quanto ao post de hoje: uma possível resposta talvez seja a de que fim de mundo não é mesmo pra qualquer um. 1 abraço
 
mundo árido. mundo de vozes miúdas e sonhos raquíticos. dentro da gente, o que resta de nós?
muito, muito bom!
 
vacas magras não dão crias?? ..olhe...rs!
Texto simples e profundo.
É a vida como ela é...
Bjs
 
Eu não acredito no nunca. Meu caro, quero te ler. Como faço para comprar o livro? Beijo.
 
Nunca é tempo demais, há falta de conformismo nas perguntas infantis...beijos de mim
 
Muito bom, vou ler os anteriores, não vim uns dias, o anterior já li, ótimo tbm, forte. parabéns rapaz. bj laura
 
cláudio, vc pode me dar seu email? queria te fazer uma pergunta. abs, laura laura.4@terra.com.br
 
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
as reticentes incertezas das esperas, sempre transforma dias "umdia/nunca", eu uma adoravel jujuba de interrogaçao. do tipo que nao se sabe a cor.

abraço moço.
 
Um dia e nunca são exatamente a mesma coisa. O que importa é o diálogo. A pergunta "por que eles nunca vêm" poderia ser feita ao pai também.
 
prefiro ver nas respostas a esperança dividida...


um beijo no coração
 
O dogma, ao invés de calar, só leva à (re)formulação de novas perguntas.
 
Assisti ao filme ao qual te referes: De tanto bater meu coração parou...Há um mês...Rapaz! Quantos comentários...Obrigado sempre.

Suas "vacas magras" me lembrou um espetáculo que assisti com Rubens Corrêa...chamava O Futuro dura muito tempo
 
Muito bom, obrigado pelas visitas. Onde vc achou esta imagem, excelente complementação ao texto que é de uma ironia cortante.
navalhado, agradeço
rubens
 
Muito bom, obrigado pelas visitas. Onde vc achou esta imagem, excelente complementação ao texto que é de uma ironia cortante.
navalhado, agradeço
rubens
 
Amo o tom de escárnio que usa em seu texto, ironico. Gosto do seu estilo.
 
Postar um comentário

<< Home

hisTórico

08.28.2005   09.04.2005   09.11.2005   09.18.2005   09.25.2005   10.02.2005   10.09.2005   10.16.2005   10.23.2005   11.20.2005   11.27.2005   12.04.2005   12.11.2005   12.18.2005   01.29.2006   02.05.2006   02.12.2006   02.19.2006   02.26.2006   03.05.2006   03.12.2006   03.19.2006   03.26.2006   04.02.2006   04.09.2006   04.16.2006   04.23.2006   04.30.2006   05.07.2006   05.14.2006   05.21.2006   05.28.2006   06.04.2006   06.11.2006   06.18.2006   06.25.2006   07.02.2006   07.16.2006   07.23.2006   07.30.2006   08.06.2006   08.13.2006   08.27.2006   09.10.2006   09.17.2006   09.24.2006   10.01.2006   10.15.2006   10.22.2006   10.29.2006   11.26.2006   12.17.2006   01.28.2007   02.04.2007   02.11.2007   02.18.2007   02.25.2007   03.11.2007   05.18.2008   07.06.2008   08.31.2008   10.19.2008   12.14.2008   02.01.2009   02.15.2009   02.22.2009   03.08.2009   03.29.2009   04.19.2009   04.26.2009   05.31.2009   06.21.2009   08.09.2009   12.20.2009   01.31.2010   05.09.2010   05.16.2010   06.27.2010   02.06.2011   06.05.2011   08.14.2011   08.28.2011   04.29.2012   12.02.2012   04.21.2013   09.22.2013  

pUbliCaçÕes

Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº30
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº31
Literatura - Revista do Escritor Brasileiro - nº32

aRtiGos

Usina de Letras
fotoclube F/508
Cronópios

OuTros imPosTos

Alê
Algaravária
Alexandre Costa
Ana Baggio
Arruda
Carlos Besen
Carpinejar
Celso Boaventura
Chloè
Cláudio B. Carlos
Claudinei Vieira
Cronópios
Dioneide Costa
Edilson Pantoja
Eduardo Baszczyn
Eduardo Oliveira
EscritorasSuicidas
Estulticia
Elidio Soares
Elisa Andrade Buzzo
Hermes Bernadi
Ivã Coelho
Larissa Marques
Marcelino Freire
Marcos Pardim
Marilena
Menalton Braff
Mim
Nandi
Natércia Pontes
Nilto Maciel
Nirton Venancio
Pedro Paulo Pan
Pedro Paulo Pan
Projeto Identidade
Rubens da Cunha
Tudo Lorota
Valéria
Whisner Fraga
eXTReMe Tracker Divulgue o seu blog! Site Meter

This page is powered by Blogger. Isn't yours?